Páginas

3 de maio de 2010

Os olhos abertos de Têmis.

Em 2006/2007 costumava escrever e enviar por email pequenos textos que intitulava de "Temperando". A ideia era produzir, de forma "bem temperada", textos sobre assuntos do cotidiano e compartilhar com amigos e colegas. Reencontrei alguns destes textos e vou postar eles aqui. Espero que gostem!

Original de Abril 2007

Segundo a mitologia grega Têmis era a deusa da Justiça, da lei e da ordem e protetora dos oprimidos. Inicialmente, Têmis era representada como uma divindade de olhar austero e segurava uma balança em uma das mãos, e, em outra, uma cornucópia (uma espécie de espada). A imagem da Têmis, como conhecemos hoje, passou a ter a venda nos olhos por criação de artistas alemães do século XVI. A faixa cobrindo-lhe os olhos significava imparcialidade: ela não via diferença entre as partes em litígio, fossem ricos ou pobres, poderosos ou humildes, grandes ou pequenos.

No Brasil a deusa “chutou o balde”, jogou a balança num lixão, leiloou a espada no “Mercado Livre” e agora é uma funcionária da máfia do Jogo do Bicho no Rio de Janeiro. Segundo relatos, desfilou na ala das baianas da Escola de Samba Beijo Flor de Nilópolis, ganhadora do carnaval carioca deste ano. Possui vários caros de luxo, contas em bancos suíços e dizem até, contratos de jogadores de futebol.

Por aqui a deusa, que agora prefere ser chamada de Madame Injura, é musa inspiradora de alguns desembargadores, juizes e delegados federais. Semana passada, um furacão, atrapalhou a calma rotina do grupo e tirou o sono da madame. Em uma operação deflagrada pela Policia Federal foram cumpridos 25 mandados de prisão. Na ocasião foram apreendidos um grande volume de dinheiro e mais de trinta carros de luxo. Os detidos são suspeitos de envolvimento em exploração de jogos ilegais, corrupção de agentes públicos, tráficos de influência e venda de sentenças judiciais favoráveis a bandidos.

Nos bastidores, advogados e magistrados clamam por ajuda da Madame Injura para liberar colegas. Pedem a ela que faça a “justiça” se cumprir, pelo menos neste caso. Dizem por ai que a “deusa da justiça tupiniquim” andou mexendo seus pauzinhos e algumas figuras ilustres já estão soltos.

E nessa história toda a Madame faz questão de deixar claro: “No Brasil a justiça não é cega, e enxerga bem a conta bancária e as causas dos poderosos”.

E no buteco do Juca, falam a boca miúda: “Ainda bem que esse pessoal não roubou galinha e nem comida pra matar fome, senão tavam ferrados…”.

Nenhum comentário: