Páginas

19 de abril de 2010

Palavras bem temperadas...

Em 2007 costumava escrever e enviar por email pequenos textos que intitulava de "Temperando". A ideia era produzir, de forma "bem temperada", textos sobre assuntos do cotidiano e compartilhar com amigos e colegas.

Este fim de semana reencontrei alguns destes textos e vou postar a partir de hoje eles aqui. Espero que gostem!


Dois Pesos, duas medidas
original de JANEIRO/2007

No período em que era prefeito da cidade de Goiás Velho (GO), Boadyr Veloso, foi condenado a dez anos e oito meses de prisão pelo estupro de sete crianças menores de 14 anos, em fevereiro do mesmo ano, o Tribunal de Justiça de Goiás, o tinha inocentado sob alegação de que as vítimas haviam se casado.

O Código Penal prevê que, no caso de a vitima se casar e, a partir daí, não requerer o prosseguimento do inquérito policial ou da ação penal no prazo de 60 dias, o estuprador não pode ser punido. A legislação, de 1940, partia do principio de que o casamento " lavava a honra" das mulheres. Na eleição, Boadyr ganhou a eleição em Goiás com um slogan " Boadyr, tarado por Goiás". Engraçado o rapaz!

Um caso emblemático, não da impunidade, ou da injustiça, mas do machismo reinante na nossa sociedade. Não quero entrar na discussão sobre a inocência ou não do Boadyr, mas gostaria de por pimenta no feijão refletir sobre a visão machista reinante no nosso meio.

Será que nossa sociedade evolui da década de 40? Será que ainda creditamos aos homens a guarda das virtudes? Como encaramos a liberdade sexual feminina? Direito ou desvio de conduta?

Pense comigo. Quantas vezes, assistimos a casos de estupro na TV e no fundo questionamos a inocência das mulheres envolvidas! Ou um caso mais comum, quantas mulheres são tachadas de meretrizes quando traem seus namorados, noivos, maridos ou companheiros, enquanto a sociedade aceita com uma hipócrita normalidade a traição masculina!

Que sociedade é a nossa que permite um candidato a prefeito utilizar um slogan, que fazia alusão a fama adquirida pelos casos de estupro? Como os homens se comportam quando são "convidados" diretamente pelas mulheres a fazerem sexo? Com certeza, naturalmente é que não é! Mulheres pensando em sexo, ou que afirmam abertamente gostarem de fazer sexo são classificadas como "vagabundas", para não usar termos mais baixos aqui.

Acredito que os valores enraizados por séculos não serão quebrados em anos. Contudo, nos escondemos atrás de uma "virtual evolução humana" para não encararmos os fatos - Uma medida para os homens, outra para as mulheres. Portanto, enquanto fomos dirigidos por valores retrógrados e machistas não estaremos aptos a entender ou discutir conceitos como igualdade ou justiça.

Homens e mulheres merecem o mesmo patamar e direito, independente se as discussões são sobre salários, direitos políticos, sobre a quantidade de sal na comida ou sobre sexualidade.

Se cantamos igualdade que seja para todos, ou não?

Nenhum comentário: