Páginas

16 de maio de 2009

Apontamentos sobre a EAD

Educação à Distância, com certeza, é provocadora de sentimentos extremos - Amor e Ódio... Ou pelo menos quase isso.Alavancada por uma rápida e gicantesta expansão nos últimos anos, dados do Censo do Ensino Superior apontam um crescimento de mais de 1000% no números de Instituições ofertantes e de cursos nos últimos 5 anos, a EAD no Brasil é bastante questionada por educadores e tema de debates acalourados. Afim de estimular a reflexão (e o debate) levanto alguns artigos e textos sobre o assunto .

O primeiro artigo, do Le Monde Diplomatique BRASIL de Abril de 2000, levá-nos a pensar em questões contemporâneas e interessantes sobre a qualidade e as "boas intenções" da EAD.

O segundo artigo, da Revista Educação & Sociedade de set/dez 2008, aponta os problemas que a EAD está criando na formação inicial de professores e defende a tese que esta formação deva ser realizada em sala de aula.

E por fim temos uma série de reportagens produzidas pelo Jornal Nacional em abril deste ano sobre a Educação à Distância, que demonstra as constribuições que a tecnologia trouxe ao Brasil.
É uma pequena contribuição no debate!

1. Le Monde Diplomatique BRASIL de Abril de 2000
DE VOLTA À RUÍNA? ENSINO À DISTÂNCIA, LUCROS E MEDIOCRIDADE
"Tomadas por uma febre comercial, e incentivadas pela OMC, as universidades voltam-se cada vez mais para o ensino via Internet, apesar da suspeita sobre a eficácia pedagógica destes métodos. Vale a pena examinar o passado deste método, bem menos "moderno" do que se imagina"
"Com o advento da Internet, o ensino à distância foi tomado pelo entusiasmo. As universidades descobriram "o mercado do século 21" e investem uma energia colossal no desenvolvimento dos serviços da rede. Mas os fomentadores desta transformação do ensino superior têm conhecimento do que foi a bancarrota de seus antecessores?" (leia mais...)

2. revista Educação & Sociedade. 2008, vol.29, n.105, pp. 1211-1234.
A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES
"Inicialmente conduzido pelas instituições públicas, esse processo teve, em seguida, a partir de 2002, a participação agressiva do setor privado que, em pouco tempo, lhe conferiu um perfil completamente diferente daquele imaginado pela legislação e, mesmo, daquele praticado pelas instituições públicas: de uma atividade complementar e subsidiária à educação presencial, tornou-se um objeto importante na disputa do mercado educacional.
(...)"O poder público demorou a perceber a nova tendência, tanto é que, apenas em 2005, iniciou a montagem de um marco regulatório e avaliativo, destinado a organizar o setor. Entretanto, nada fez de concreto,até o momento, para proteger a formação presencial dos professores."(leia mais...)

3. série especial de reportagens do Jornal Nacional - 27/04/2009 à 01/05/2009 .
"Uma série especial de reportagens sobre um desafio brasileiro. A necessidade de educar milhões pessoas num país gigantesco e onde faltam professores. O repórter Alan Severiano mostra como isso é possível com a ajuda de tecnologia."
27/04 - Educação a distância beneficia milhões
28/04 - Televisão é fundamental no ensino a distância
29/04 - Cresce o número de curso superior a distância
30/04 - MEC avalia cursos de educação a distância
01/05 - Interatividade encurta distância em ensino

Nenhum comentário: