Páginas

5 de abril de 2009

"O professor precisa aprender a valorizar seu capital intelectual, que não tem preço."

Em entrevista a revista Carta na Escola a psicanalista, Maria Rita Kehl, alerta para os riscos vividos pelas escolas que negociam demais sua cultura de socialização e transmissão de saberes com a cultura juvenil. E atenta para o papel decisivo da publicidade como indutora do convite ao prazer, ao “barato” imediato. O que pode ser uma droga, literalmente.

Abaixo alguns trechos da entrevista:

"Eu ainda acho que a escola é um aprendizado de convívio civilizado, da negociação de interesses e reconhecimento de quem se deve respeitar e como respeitar."

"O professor não está escorado por todos esses pilares de mármore, felizmente não está, mas, ao mesmo tempo, ele tem uma posição de autoridade."

"Autoridade é o exercício de uma diferença de posição que tem a ver com gerações, pais e filhos, professores e alunos, e que se exerce para, a partir daí, ter o que negociar. Porque, se não, é a desmoralização da escola."

- leia entrevista completa aqui

Nenhum comentário: