Páginas

27 de março de 2009

BBB, o Povo e o moralismo.

Vi num portal de notícias uma chamada de matéria que me deixou pasmo. Segundo a chamada, no último "paredão" do Big Brother Brasil 9 foram computadas mais 29 milhões de ligações votando em algum candidato para ser eliminado do programa. Vamos colocar o preço da ligação do 0300 a R$ 0,30, então teremos R$ 8.700.000,00. Isso mesmo, oito milhões e setecentos mil reais, que o povo gastou numa votação de um reality show!

Poderia aqui discutir e me indignar com a rede Globo e a operadora de telefonia, visto os milhões de pessoas na absoluta miséria e pobreza, ou ainda com o fato de grande parte das pessoas que ligam para este programa e que por contrapartida abastecem os cofres destas empresas serem trabalhadores assalariados. Poderia, mas não vou!

O que é mais absurdo nestes números e o que é mais revoltante nesta história toda é saber que milhões de pessoas são capazes de passar horas de sua vida acompanhando este programa, conseguem inclusive, dizer os nomes dos últimos participantes do "tal paredão", contudo são incapazes de listar o nome do vereador votado na última eleição.

São pessoas que votam numa legenda política sem jamais ter lido o programa do partido, mas que gasta seu escasso salário num programa que acredita de extrema utilidade para o seu desenvolvimento pessoal. Indivíduos que não perdem um capítulo sequer do BBB para estar bem informado na hora de PAGAR pelo seu voto.

E neste grupo de pessoas temos desde donas de casa, a estudantes universitários, até pós-graduados. Enfim são pessoas de vários níveis sociais e escolares, que se abastecem do besteirol diariamente e que a cada eleição se acham em condições de cobrar dos políticos.

Pior, abastecemos um programa que prega a mentira, a safadeza e a promiscuidade na busca pelo prêmio de um milhão de reais. Vale tudo para ganhar. Tudo mesmo! Mas quando os nossos deputados aprovam um "super" aumento de salário, saímos às ruas contra essa "sacanagem", com discursos moralistas e apimentados.

Não quero ser mais um moralista a pregar contra a hipocrisia do povo. Só acredito que devemos ser mais honestos com nós mesmos e com o nosso país. Se alguém quer assistir e gastar seu dinheiro com o BBB que o faça é um direito seu. Mas não se esqueça de ter a mesma empolgação com a situação do seu país. E mais, se achamos “normal" mentir para vencer um reality show, se achamos necessário vender o corpo para ganhar um emprego, não temos o direito de questionar os deputados escolhidos por nós que vendem seus votos por mensalões ou mensalinhos, ou que se envolvem em esquemas de proprinas com construtoras.

Afinal, o que será mais importante: o resultado do paredão do BBB ou o desenvolvimento social do país? Cada um que decida e que aja conforme sua consciência.

P.S. escrevi este texto em 2007 e fiz somente uns pequenos ajustes... engraçado como as coisas não mudam!!

Nenhum comentário: