Páginas

10 de setembro de 2008

Avaliação do MEC em Goiás aponta deficiências Graves

materia do jornal O Popular - 10 de setembro 2008

Em Goiás, das 45 instituições de ensino superior (IES) avaliadas pelo Ministério da Educação (MEC) na primeira edição do Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC), apenas a Universidade Federal (UFG) obteve nota considerada boa: de 0 a 500, alcançou 333 pontos; e, de 1 a 5, conceito 4. Somente 35,5% das instituições públicas analisadas no País obtiveram conceito 4 ou 5 e 43,8% ficaram com conceito 3.

No outro extremo, a Faculdade Santa Rita de Cássia (Unifasc), de Itumbiara, teve nota 92 e conceito 1, e, segundo o MEC, corre risco de perder o credenciamento, assim como outras 24 IES do Estado que obtiveram conceito 2.

O restante das instituições foram avaliadas com conceito 3, considerado dentro da média: são 19 ao todo, entre universidades, centros universitários e faculdades isoladas e integradas.

O IGC é mais um indicador de qualidade de instituições de educação superior criado pelo MEC. Do total de 1.837 instituições cadastradas e participantes das avaliações do governo federal, 78,8% tiveram o novo índice calculado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Nesse primeiro levantamento, o IGC traz os conceitos de 173 universidades, 131 centros universitários e 1.144 faculdades isoladas e integradas. Sintetiza, para cada instituição, a qualidade de todos os seus cursos de graduação, mestrado e doutorado, distribuídos na totalidade de câmpus e municípios onde a instituição atua. O resultado final está em valores contínuos – que vão de 0 a 500 – e em faixas – de 1 a 5.

As IES que ainda não tiveram o seu indicador calculado são, de modo geral, instituições novas, que não possuem concluintes em seus cursos e não têm a nota do Enade, por exemplo.

CálculoNo cálculo do indicador, são utilizados a média do Conceito Preliminar do Curso (CPC) e o conceito fixado pela Capes para a pós-graduação. A média dos conceitos dos cursos é ponderada pela distribuição dos alunos nos diferentes níveis de ensino – graduação, mestrado e doutorado.
Para essa primeira divulgação do IGC, foram utilizados os CPCs referentes às edições do Enade no período de 2005 a 2007. O CPC considera, além de resultados de avaliação de desempenho de estudantes, infra-estrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente.

A nota da Capes é referente à avaliação do triênio de 2004 a 2006. A partir de agora, o IGC de cada IES do Brasil será divulgado anualmente pelo Inep/MEC, sempre em momento imediatamente posterior à divulgação dos resultados do Enade e do CPC.

Nenhum comentário: